sexta-feira, 10 de março de 2017

Projeto que reduz licença maternidade causa polêmica em Brumado

Resultado de imagem para brumado protesto da guarda municipais
Projetos de lei enviados pela prefeitura de Brumado, sudoeste da Bahia, para a Câmara de Vereadores, que buscam reduzir o período de licença maternidade e extinguir cargos na administração pública causaram protestos dos vereadores de oposição e de sindicatos. As propostas foram aprovadas em primeiro turno na segunda-feira (6), e serão apreciadas em segundo turno na próxima segunda-feira (13). O prefeito não foi localizado para comentar o assunto. O presidente da Câmara, Leonardo Vasconcelos (PDT), disse que um dos projetos busca alterar de 180 para 120 dias o período de licença maternidade das funcionárias municipais. "O mesmo prefeito que enviou projeto aumentando para 180 dias no ano de 2011, com a Lei 1642/2011, resolveu que retornasse para 120 dias, como a lei federal. O prefeito alega diversos fatores, como a realidade econômica que era outra em 2011 e hoje está marcada por crise intensa", diz o presidente.

Resultado de imagem para brumado ze ribeiro
"Nos posicionamos contra porque é retirada de direitos conquistados pelas mulheres. Isso não vai alterar situação financeira de Brumado. A questão também não é só financeira, porque tem a ver com relação de mães e filhos que não está sendo levada em conta. A questão financeira é o mínimo", alega o vereador de oposição José Ribeiro (PT). Outro projeto propõe a extinção dos cargos de guardas civis, motoristas e serviços gerais. "Não há nenhum prejuízo para quem já está concursado hoje. 
O prefeito quer extinguir os próximos cargos que serão criados, de quem irá se aposentar. Se for aprovado em segundo turno, nenhuma das categorias será prejudicada", afirmou o presidente da Casa. "O município extingue as vagas que abriram ao longo do tempo. Essas vagas no percurso normal seriam preenchidas através de concurso, mas como a vaga é extinta, dará condições de fazer contratação por meio de terceirização. Acreditamos que concurso é meio legal de contratação", rebate José Ribeiro. 

Resultado de imagem para brumadoguarda municipais
O terceiro projeto do Executivo na Câmara impõe que a prefeitura suspenda a liberação de funcionários municipais para trabalharem no Sindicato dos Professores de Brumados (APLB). "Esse projeto não reconhece a APLB como sindicato. Também foram cortados os repasses que eram feitos com autorização do servidor para o sindicato", afirma o vereador. 

Projetos foram votados sob protestos na segunda-feira (6), em Brumado (Foto: Lay Amorim/ Brumado Notícias)
O último projeto apreciado na terça-feira estabeleceria a extinção dos feriados municipais de São Sebastião, em 20 de janeiro, e 24 de junho, São João. Esse foi o único que foi reprovado em apenas uma votação, na segunda-feira, e não haverá segundo turno.
Loading...