quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Marido assassina advogada e acaba morto em acidente em Sumaré, no interior de São Paulo

Uma advogada de 36 anos foi assassinada a facadas pelo próprio marido dentro de casa, na cidade de Sumaré, no interior de São Paulo. 
O comerciante não aceitava o fim do casamento. Logo após o crime, ele jogou a moto contra um caminhão e também morreu. Janaína Gonçalves Corsetti e Reginaldo Martins, de 45 anos, ficaram 21 anos casados. Martins tinha uma loja de roupas na cidade. Antes de se separarem, Janaína costumava ajudá-lo nos negócios. A mulher havia se formado em direito em 2009 e abriu um escritório de advocacia com a cunhada, dois anos depois. 
Janaína pediu o divórcio ao marido e foi morar na casa da mãe com a filha de 15 anos, enquanto Martins continuou na casa da família. Pouco antes do crime, a advogada publicou um texto sobre relacionamento abusivo em sua página numa rede social. O homem não se conformava com o fim do casamento e, todos os dias, ligava para a mulher pedindo reconciliação. 
Segundo familiares, ele chegou a dizer que se mataria caso Janaína não voltasse com ele. Ao todo, o casal ficou 40 dias separado. O crime chocou a família e os conhecidos. 
Naquele dia, Janaína ligou para Martins perguntando se ele estaria em casa porque ela precisava buscar o material escolar da filha. O homem disse que estaria fora e que ela poderia ir tranquilamente até o imóvel. Janaína foi com a filha para a casa e começaram a procurar o material, mas não encontraram. A menina ligou para o pai e o celular dele tocou dentro da residência. 
O homem estava escondido. Para a polícia, o crime foi premeditado. Martins saiu do esconderijo e se trancou com Janaína no quarto do casal. Ele pegou duas facas, que foram apreendidas, e matou a advogada. A filha percebeu o que estava acontecendo do lado de fora pelos gritos e tentou abrir a porta, que estava trancada. Em seguida, ela chamou a polícia. Logo após o crime, Martins saiu de moto e se chocou contra um caminhão em alta velocidade em Limeira. Os destroços da moto ficaram espalhados pela estrada. O corpo de Martins ficou mutilado e pegou fogo. Os dois foram sepultados no mesmo cemitério, mas em áreas diferentes.
Loading...