quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Táxi encontrado na casa de Cunha não deveria circular, segundo prefeitura

Eduardo Cunha
O Touareg branco encontrado por agentes da Polícia Federal na casa do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, não poderia estar circulando nas ruas. Motivo? De acordo com a Prefeitura de Nilópolis, o carro está irregular e não poderia rodar antes de trocar o status (de táxi para carro de uso particular) no órgão municipal. A assessoria de Cunha havia informado que ele “eventualmente” aluga o veículo para prestar serviços gerais.
O veículo recebeu uma licença para atuar como táxi em Nilópolis, em 2013. No ano seguinte, o dono do carro, Altair Alves Pinto, não fez a vistoria obrigatória, e, em 2015, teve a autorização suspensa, como mostra o Diário Oficial do município de 24 de fevereiro.

Altair é apontado por Fernando Baiano como o responsável por receber propina das mãos dele e entregar a Cunha.
Ainda de acordo com a Prefeitura de Nilópolis, o carro era zero quilômetro quando foi registrado, em 2013. Hoje, um veículo assim está na faixa de R$ 248 mil. Os taxistas que suam a camisa nas ruas da cidade garantem nunca ter visto o “colega-ostentação” em ação.
Táxis do tamanho de um Touareg não conseguem isenção fiscal, então ninguém tem, afirma Fábio Azeredo, de 40 anos, que trabalha há nove na Praça Paulo de Frontin, no Centro do município.
A prefeitura informou que o percentual dos descontos do Imposto Sobre Produto Industrializado e do Imposto sobre a Circulação de Mercadoria e Serviços para a compra do carro zero destinado ao serviço de táxi varia segundo o modelo do veículo.
Outro taxista, que preferiu não se identificar, disse que já foi prática comum no município conceder autorização de táxi para políticos.

Levantamento do EXTRA mostrou que o carro possui 32 multas. Nenhuma delas em Nilópolis. Segundo o Detran, não foi feita vistoria no carro a este ano. //extra.
Loading...