quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

População Santista aprova decisão de armar a Guarda Municipal de Santos

Ainda considerado um tema bastante polêmico pela população e até mesmo entre os guardas municipais (GMs), o uso de arma de fogo por integrantes dessa corporação em ações de apoio à segurança pública será uma realidade em Santos.

A Prefeitura já anunciou que pretende capacitar os GMs para essas situações. A proposta conta com a aprovação de 54,6% dos moradores do Município, segundo o Instituto de Pesquisas A Tribuna (IPAT).

O resultado consta no levantamento realizado com 800 entrevistados, com 16 anos ou mais, nos últimos dias 14 e 15.

A ideia de armar a GM tem amplo apoio dos idosos com mais de 69 anos e entre cidadãos que têm renda familiar mensal de R$ 4.001,00 a R$ 8 mil (64,5%). O fato de a corporação passar a patrulhar as ruas em apoio à segurança na Cidade também tem o aval de 92,8% dos consultados.
Para ajudar a melhorar a sensação de segurança no Município, a Prefeitura investiu, nos últimos anos, na ampliação do número de câmeras pela Cidade. A medida foi considerada acertada pelos participantes da consulta do IPAT, porque 95% deles entendem que o objetivo previsto foi alcançado.

Registro de ocorrências

Segundo as autoridades policiais, um fator essencial para melhorar o policiamento e mapear as áreas críticas dos municípios é o registro dos boletins de ocorrência (BOs). Este tipo de comunicação às autoridades é considerado importante para 91,6% dos consultados.

Na avaliação de 74% dos entrevistados entre 25 e 34 anos, a notificação dos casos é fundamental para investigar os delitos praticados e facilitar a prisão de criminosos.

Na opinião de 20,7% das pessoas com renda mensal familiar de R$ 1.001,00 a R$ 2 mil, os BOs auxiliam o controle estatístico para melhorar a eficiência da polícia.
A preservação dos direitos da vítima foi outro aspecto mencionado sobre a necessidade de se fazer o BO. Isto foi lembrado por 18,5% dos moradores residentes nos bairros da orla da praia.

Por esse motivo, a melhoria considerada mais importante para estimular e facilitar o registro de roubos, furtos e outros casos de violência para 52% dos santistas é a manutenção das delegacias abertas 24 horas por dia, inclusive durante os finais de semana e feriados.

Outros itens também foram mencionados pelos consultados pelo instituto, como ampliar os tipos de ocorrência que podem ser registradas pela internet (17,7%), destacar mais escrivães e delegados para agilizar o atendimento e capacitar funcionários para melhorar o atendimento às vítimas nos distritos policiais (13,7%).

Nas entrevistas, os participantes tiveram de responder ao IPAT quais ações deveriam ser priorizadas para melhorar a segurança na Cidade. O item mais lembrado foi um aspecto sempre cobrado por comunidade, imprensa e autoridades locais: o aumento do efetivo policial (45%).


Também fazem parte dessa lista a aprovação de leis mais rigorosas para punição de criminosos (20,9%), mais integração entre as polícias Civil, Militar e Guarda Municipal (19%) e redução da maioridade penal (13,5%). //amigosdaguardacivil
Loading...