quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Casos suspeitos de microcefalia aumentam 75% na Bahia

O número de notificações ou casos suspeitos de microcefalia na Bahia subiu para 316, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (15). O estado continua em terceiro no ranking nacional. No último boletim, eram 180 notificações relacionadas ao vírus zika.

Os novos dados, de sexta-feira (12), foram divulgados em uma entrevista coletiva em Brasília. Ao todo, 60 municípios baianos tiveram casos notificados. Sete mortes foram registradas na Bahia por microcefalia. A investigação dos casos é feita em conjunto com gestores de Saúde de estados e municípios.
Em todo o país, até a sexta-feira (12), foram registrados 2.401 casos suspeitos de microcefalia e 29 mortes em 549 municípios. Desses casos, 134 casos foram confirmados e 102, descartados. Em relação aos óbitos, foi confirmado um óbitos e descartados dois. Continuam em investigação 26 mortes.

Seis novos estados notificaram casos suspeitos. São eles: Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, São Paulo e Rio Grande do Sul. Equipes técnicas de investigação de campo do Ministério da Saúde estão trabalhando nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe e Ceará.

Protocolo

De acordo com o diretor de vigilância das doenças transmissíveis do ministério, Claudio Maierovitch, o protocolo lançado pelo ministério para os estados e municípios vai dar um novo panorama sobre os casos de microcefalia. “A partir do protocolo clínico da semana passada, os casos suspeitos podem ser confirmados ou descartados”, explicou.

No entanto, ainda pode haver uma demora para que o protocolo seja colocado em prática. “Demora algum tempo pra que estados e municípios façam a capacitação para que os profissionais usem o protocolo. Mas todas as crianças vão ser classificadas”, garantiu o diretor. Em todo o país, são 18 laboratórios capazes de fazer as análises para a identificação do vírus. Cinco são de referências, e os outros 13 são laboratórios centrais dos estados que receberam capacitação.

Visita adiada

O neuroepidemiologista James Sejvar, do CDC – Central of Disease Control de Atlanta (Estados Unidos), não vai mais participar da reunião com técnicos da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) que aconteceria nesta quarta-feira (16), na Fiocruz. A assessoria da Sesab informou que o motivo foram compromissos de última hora do especialista nos Estados Unidos. Ainda não há data definida para uma nova reunião.
Loading...